A importância da mudança de hábitos dentro de uma empresa

Quem briga com a balança e já passou por tratamento com algum especialista na área, como endócrino ou nutricionista, já deve ter ouvido a seguinte frase:

“o importante não é o que você faz entre o Natal e o Ano Novo. O importante é o que você faz entre o Ano Novo e o Natal!”

 

Eu ouvi isso do meu médico em dezembro e fez total sentido pra mim, afinal, não seriam os pecados da gula cometidos durante apenas 10 dias que determinariam meu peso e saúde durante os outros 355. Isso me deixou mais tranquila para sair da dieta sem culpa. E agora, em janeiro, cá estou eu de volta à rotina de exercícios e refeições mais moderadas.

 

Falando em perda de peso, a gente sabe que o inverso também é verdadeiro, ou seja, passar 10 dias numa dieta super restritiva e fazendo exercícios físicos enlouquecidamente, não irá garantir peso ideal e saúde nos 355 dias restantes. Definitivamente, são os hábitos diários que asseguram nosso bem-estar, e não aquilo que fazemos uma vez ou outra.

 

Nas empresas, acontece exatamente a mesma coisa: é o que o gestor faz diariamente que influencia de maneira positiva ou negativa o desempenho do negócio. São as atitudes diárias do líder que definem a personalidade da empresa. Você concorda?

 

Vou citar um exemplo bem comum que você já deve ter vivido como funcionário ou como gestor: aquela palestra motivacional promovida pela empresa para dar uma chacoalhada geral no pessoal. A empresa quer mostrar como se preocupa com o desenvolvimento do time e investe em capacitação. O evento é organizado no capricho, o palestrante consegue se conectar com as pessoas e ao final de duas horas e meia sai todo mundo vibrando com o pensamento de que “agora vai”!

 

Mas, na segunda-feira, quando todo mundo volta para a rotina normal de trabalho, percebe rapidamente que o evento foi apenas um ponto fora da curva numa empresa familiar cujo gestor é altamente centralizador, não faz reuniões de alinhamento com a equipe, não aceita um plano de cargos e salários e contrata familiares para assumirem posições estratégicas – mesmo que não tenham competência técnica e comportamental para o cargo – porque não confia nos profissionais do próprio time. E lá se foi o efeito positivo da palestra....ele não vai resistir por muitos dias nesse ambiente.

 

Não tem jeito, a empresa é o que ela respira todos os dias: planejamento ou improvisação, inovação ou obsolescência, dinamismo ou inércia, cooperação ou indiferença. O que você quer que sua empresa respire até o próximo Natal? Seja lá o que for, precisa começar agora e por você.

 

Tenho certeza que você sabe exatamente como gostaria que sua empresa fosse. O desenho está claro na sua cabeça, certo? Então, aproveite esse início de ano para mudar hábitos, criar novas rotinas, instaurar um novo ritmo. Não espere que a mudança aconteça num evento específico, na contratação de um super profissional ou naquela viagem de negócios. Ela não vai acontecer em 10 dias. As mudanças perenes são construídas dia após dia, sem correria e com constância.

 

Autor do post: Adriana Moser, Consultora de Gestão da Florença





Você gostou? Compartilhe com seus amigos